quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Geraldinho Lins - Galo 2015


01. Leão do norte
02 Estação da Luz
03 Encosta Neu
04 Monumento Vivo
05 Bota pra Fever
06 Sou Teu Amor
07 Balança o Saco
08 Ligado em Você
09 Recife Maracatu
10 Galera do Brasil
11 Que Força é Essa
12 Sementes
13 Esperando na Janela
14 Cometa Mambembe
15 Frevo Mulher
16 Ultimo Regresso
17 Madeira do Rosarinho
18 Evocação 1
19 Segura Eu
20 Tropicana
21 Nos 4 cantos
22 Menina Pernambucana
23 Trombone de Prata
24 Juventude Dourada
25 Balão Dourado
26 Riacho do Navio
27 Forró no Escuro
28 Você Vacilou
29 Superfantástico
30 País Tropical

Entrevista: Belo Xis

Texto e fotos: Gianfrancesco Mello

Belo Xis

Filho de sambistas, o samba é o ritmo que sempre guiou a vida do cantor e compositor Antônio José de Santana, popularmente conhecido como Belo Xis. Este ano, ele comemora 40 anos dedicados à música. Belo Xis é o puxador oficial da escola Gigante do Samba, da Bomba do Hemetério, Zona Norte do Recife, e faz parte da ala de compositores da Unidos da Tijuca, no Rio de Janeiro. Tem 12 CDs gravados e já tocou com grandes nomes como Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Leci Brandão e Chico Silva. Influenciado também pelas músicas de Luiz Gonzaga, o artista conversou com o repórter Gianfrancesco Mello sobre o seu histórico profissional até o sucesso atual e ainda sobre o Dia Nacional do Samba, que é comemorado no dia 2 de dezembro.

Agenda Cultural – Como começou sua paixão pelo samba?

Belo Xis  Fui criado no meio do samba. Meus pais e meus tios eram todos sambistas. Eu morava na Rua Santo Moreira, no Cordeiro, e lá o meu pai – nos fins de semana – reunia a família e os amigos para tomar batida (bebida da época) e ouvir samba. Era uma grande confraternização semanal no quintal de casa entre minha família e os amigos. E eu ficava como discotecário. Tinha um pé de carambola no meu quintal e o meu pai possuía um alto-falante chamado de corneta que ele amarrava em cima do pé. Como eu era o discotecário, trocava os LPs que meu pai já tinha selecionado para tocar. Eram artistas como Ciro Monteiro, Jorge Veiga, Roberto Silva, Germano Matias, Jamelão, Elizete Cardoso, entre outros artistas tradicionais. Mas gostava de jogar bola com os meus amigos e o meu pai junto com um dos meus tios me dava dinheiro para eu não sair de lá. Eu até achava bom porque eu podia ir comprar meus gibis e, à tarde, eu assistia seriados no Cine Cordeiro. Nessa época, morávamos na casa da minha avó, Dona Maroquinha.

Depois de um tempo, meu pai comprou uma casa no bairro da Torre, próxima da praça. E o samba sempre rolava na minha casa. Aquele ritmo foi entrando na minha cabeça de uma maneira tal que só comecei a pensar em samba. Ao mesmo tempo, tinha um tio meu que morava no Bairro de São José e, na época, já existia a escola de samba Estudantes de São José. Foi assim que comecei a me entrosar com as escolas de samba. Ao mesmo tempo, na Torre, tive oportunidade de jogar futebol como goleiro do Santa Cruz na categoria juvenil. Com o tempo, fui para o América do Recife. Eles me chamavam de Santana. Aos 19 anos, fui jogar no juvenil do Vasco da Gama, no Rio de Janeiro. Como estourei a idade no juvenil, fui ser jogador profissional no Madureira a convite do meu treinador do juvenil do Vasco, que foi chamado para trabalhar lá. No Rio de Janeiro, eu era conhecido como Toninho.


Madureira é o berço do samba. Quando eu cheguei lá, encontrei Roberto Ribeiro, que tinha vindo depois de uma passagem pelo Goytacaz Futebol Clube de Campos, da cidade de Campos dos Goytacazes, e também do Fluminense. Eu fui morar na concentração do Madureira. Fiquei dividido entre o time Madureira e as escolas de samba Portela e Império Serrano. Mas, ao mesmo tempo, minha família morava em Nova Iguaçu e os meus primos já eram ligados com a Mocidade Independente de Padre Miguel. Eu mesmo já tinha uma identificação com a escola porque eu achava esse nome muito bonito (Mocidade Independente de Padre Miguel). Foi a partir desse momento que me entrosei, ainda mais, no Rio de Janeiro. Na época, Roberto Ribeiro já estava deixando o futebol porque ele já era intérprete da Império Serrano. Lembro que, durante as nossas viagens para jogar, rolava muito samba e a batucada comia. Na ocasião, eu também já sentia minha tendência para o samba. No entanto, eu fazia parte da Mocidade porque seria muito visado na Madureira e poderia sofrer algum preconceito por ser jogador e gostar de samba. Isso porque as pessoas sempre ligavam o samba com bebida, e jogador que bebe não era bem visto.

Quando voltei ao Recife, fui gerente de uma empresa. Tinha tudo a minha disposição. Teve um tempo que joguei no São Domingos, em Maceió. Mas o que eu queria mesmo era ser sambista. Por esse motivo, criei um grupo de samba chamado Sambig Show. Lembro que já existia um outro grupo chamado Samba 5. Então, esses dois grupos começaram a fazer sucesso nos anos de 1970. Também comecei a me envolver com a Gigante do Samba, no qual ganhei vários sambas.

Agenda Cultural – Com início de sucesso nas noites pernambucanas, você voltou para o Sudeste do Brasil?

Belo Xis – Sim. Fui a São Paulo fazer parte da ala de compositores da Mocidade Alegre e passei também pela Rosas de Ouro. Com o tempo, retornei ao Recife e continuei na Gigante do Samba, mas com uma bagagem maior. À noite, durante uma apresentação, surgiu uma pessoa dizendo que era diretor artístico da gravadora Continental. Fiquei meio sem querer acreditar, mas guardei o cartão dele. No outro dia, eu olhei o cartão melhor e vi que se tratava de Moacir Machado. Fui logo encontrar com ele. Veio, então, o primeiro contrato pela Continental. Isso aconteceu no mês de maio e ele pediu que eu fosse para São Paulo em julho. Chegando lá, com tudo pronto para gravar o meu primeiro LP, o Moacir teve um desentendimento com a direção da Continental e tudo foi por água abaixo. Eu chorei. O problema é que a imprensa pernambucana já tinha feito toda aquela propaganda de eu ser o primeiro sambista pernambucano a gravar um LP em uma gravadora. Decidi continuar por lá e batalhar. Liguei para o meu pai e ele me deu muito apoio para continuar. Pedi ajuda a um amigo meu que era dono de um hotel para me deixar ficar por lá. Eu tinha levado uma fita K7 e comecei a rodar em várias gravadoras, mas ninguém se interessava.

Depois de um tempo, finalmente, fui a uma gravadora e que estava gravando era Nando Cordel. O nome da gravadora era Ariola. Contei ao Nando o que aconteceu e que estava na luta há uns três meses. Nando me apresentou a Pedrinho da Luz. Pedrinho disse que já tinha esgotado a verba de produção e que não podia fazer nenhum outro disco. Isso já era no meio de setembro e as gravadoras gostavam de lançar os LPs em dezembro. Estava muito em cima. Quando saí, voltei e falei: “Pedrinho, como você vai saber sobre o meu som? Você nem me escutou. Vou deixar uma fita K7 e você escuta na sua casa. Amanhã, eu venho buscar a fita porque à noite eu volto pra o Recife. Fui no outro dia e nada dele chegar. Deixei um bilhete com a secretária do Pedrinho para ele mandar a fita pelo malote para Silva Jamaica, da Ariola no Recife, e fui embora.

Quando fui saindo da gravadora, um cidadão correu atrás de mim e gritou meu nome. Ele disse que Pedrinho tinha chegado e que queria falar comigo. Voltei. Ele demorou a me chamar e, quando me chamou, me recebeu na porta dizendo: “Parabéns! Vou lhe gravar. Já marquei tudo. Você não volta pra o Recife agora. Ligue pra sua família.” Caí no choro porque foi muita luta para conseguir aquele sim de uma gravadora. Gravei meu primeiro LP pela Ariola e o disco foi lançado em dezembro. Isso foi em 1984, mais ou menos. Só que todos os discos de samba eram gravados no Rio de Janeiro e eu estava em São Paulo. O meu sonho era gravar no Rio. Quando conversei com ele, Pedrinho disse que eu iria para o Rio de Janeiro passar uma semana lá e que eu retornaria para São Paulo junto com os melhores músicos da época para gravar. Isso porque a verba era de São Paulo e eu tinha que gravar em São Paulo. Fiquei mais aliviado e tive a oportunidade de gravar com nomes como Rafael Rabelo (sete cordas) e Wilson das Neves (baterista), além de ter o arranjo feito por Zé Menezes. Foi assim que surgiu o LP Sambando no meio do povo.

Agenda Cultural – Por quais outras gravadoras você passou depois do seu primeiro LP?

Belo Xis – Gravei dois discos na Ariola. Quando o selo da Ariola acabou, fui para a Continental, que foi a primeira que tentei e deu toda aquela história de cancelamento. Fiz dois discos pela Continental, dois com a RGE e mais um com a Atração. Depois, gravei com João da Condil, da Som Livre. Gravei também com a Som Master. Foi assim que a minha carreira deslanchou. Sempre viajo para outros estados e eu, hoje, consolidei meu nome. Prefiro ficar mais aqui no Recife por ser uma cidade multicultural.

Agenda Cultural – Foi e é um grande esforço lutar pelo samba?

Belo Xis – Eu lutei muito pelo samba. Pernambuco é considerado a terceira capital do samba no Brasil. Comecei lutando sozinho e, hoje, temos muitos outros representantes no Estado. Eu criei aqui a primeira casa de samba chamada de Ensaio Geral, na Avenida Beberibe. Depois, surgiu o restaurante da Wanda, que se tornou o Pagode da Wanda.

Agenda Cultural – Sempre o chamam de Belo Xis. Eu mesmo o chamei de Belo Xis. Como surgiu esse nome?

Belo Xis – Tenho um amigo chamado Jorge Valadares e morávamos juntos na Torre. Lá também morava outro amigo, Gustavo Krause. Jogávamos bola e ainda realizávamos campeonato de futebol de botão. Isso a gente fazia na garagem da casa de Gustavo Krause e como eu tinha uma letra melhor, fiquei responsável por fazer a tabela. Eu coloquei, por exemplo, Sport x Santa Cruz. Entretanto, o X que fiz foi num estilo meio gótico. Lembro que Gustavo e Jorge disseram que estava bom, mas perguntaram por que eu tinha feito o Xdaquela maneira. Falei para eles pararem de reclamar, porque se era bom não era pra reclamar. Eu disse que o X tinha ficado um Belo X. Depois disso, pegou. Todo mundo dizia: “Olha! Ficou um Belo Xis”. Até minhas irmãs me chamam de Belo Xis. Ou seja, o meu nome artístico se tornou meu nome oficial. Sou o único irmão homem de uma família só de irmãs.

Agenda Cultural – E a boemia? Sambista deve ser boêmio?

Belo Xis – O sambista é muito solicitado pela roda de amigos. Também é conhecido pela tradição de se vestir com um chapeuzinho e de um jeito meio despojado. Muitos adotam aquela roupa branca... O sambista deve levar a vida numa boa. Nessas rodas de amigos, sempre sai um uísque, uma cervejinha e muitos sambas saem desses encontros. Sambista também gosta de frequentar bares de música ao vivo. Eu, quando quero compor, vou ao Parque 13 de Maio com meus amigos. Fico compondo naquelas mesas onde o pessoal fica jogando dominó. Gosto muito de falar de amor, porque transmite positividade. Isso porque não sou caseiro. Prefiro a rua a ficar em casa. Ando por aí e gosto de passear com os amigos. Água Fria, por exemplo, é o bairro onde moram meus amigos sambistas. É lá que cantamos um bom samba, na maioria das vezes.

Agenda Cultural – Parar nem pensar...

Belo Xis – Não sinto que é momento de parar. Sou saudável e encaro o meu trabalho com muito profissionalismo. Tenho muito a fazer no samba.

Agenda Cultural – Você é um dos responsáveis por trazer o Dia Nacional do Samba aqui para o Recife. Como foi esse processo?


Belo Xis – Pois é. O Dia Nacional do Samba é comemorado no dia 2 de dezembro e já era forte no Sudeste do Brasil. Há 15 anos, quando voltei de vez pra o Recife, decidi marcar essa data aqui. O primeiro samba foi na Praça do Arsenal. Na época, cheguei do Rio de Janeiro e fui direto cantar. Só quem fazia éramos eu e Ramos Silva. Depois, Wellington do Pandeiro entrou no projeto, mas não era uma coisa oficial. Muitas vezes, realizávamos o evento com o nosso próprio dinheiro. De cinco anos pra cá, a gente começou a receber um incentivo maior. Por meio do vereador Múcio Magalhães, a Prefeitura do Recife decidiu sancionar a Lei sobre o Dia Nacional do Samba. Este ano, já viemos com a data oficializada e recebemos um apoio imenso do prefeito Geraldo Júlio. Durante a comemoração, vamos entregar o Troféu Amigos do Samba ao prefeito e também a outros nomes que incentivam o samba no Estado. Também vamos contar com sambistas como Ely Peroais, Ramos Silva, Luiza Pérola, Cris Galvão, Wellington do Pandeiro e Gerlane Geo, além da bateria da Gigante do Samba, que fará um arrastão no Pátio de São Pedro, área central da cidade.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Iaponan Marins - Eu quero Água

Bloco da Ressaca anima foliões na Zona Norte do Recife

Bloco comemorou 15 anos com as seguintes atrações: Almir Rouche, Asas da América, Beleza Pura, Seu John e Léo Santana que pela primeira vez desfilou no bloco.

O Bloco da Ressaca surgiu em 2000, numa brincadeira de amigos da Zona Norte, que ao invés de se deslocar para brincar na Zona Sul, resolveu brincar no próprio bairro, onde todos moravam. No primeiro ano, eles conseguiram arrastar quase cinco mil pessoas, com uma Frevioca e um minitrio. Entre 2001 e 2013, a quantidade de foliões foi crescendo, atraindo pessoas de todas as partes do estado para conhecer e  acompanhar o bloco. No último carnaval (2014), esse número subiu para cerca de 200 mil pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar, onde o bloco foi destaque em toda a mídia local e nacional. 


sábado, 21 de fevereiro de 2015

Bloco Papa Defunto anima foliões na Quarta-feira de Cinzas na Zona Norte do Recife










Fotos: Gabriela Farias / Site ForrozeirosPE.com.br

Carnaval de Pernambuco supera marca de anos anteriores

Pesquisa realizada pela Empetur demonstra o sucesso do Carnaval pernambucano
Em 2015, o Carnaval de Pernambuco superou todas as marcas dos últimos anos. Foram mais de um milhão e meio de visitantes que brincaram no estado, um acréscimo de 15% em relação a 2014, quando 1,3 milhão de visitantes participaram do Carnaval. O aumento do público impactou positivamente na receita turística da festa, foram injetados na economia pernambucana mais de R$ 1 bilhão. Os dados fazem parte da pesquisa preliminar realizada pela Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, por meio da Empresa de Turismo de Pernambuco – Governador Eduardo Campos (Empetur), entre os dias 9 e 17 de fevereiro, no Recife e Região Metropolitana, Bezerros, Nazaré da Mata, Triunfo e Garanhuns.
Segundo estimativas realizadas pelo Ministério do Turismo para o Carnaval 2015 nos principais polos de folia do país, Pernambuco recebeu mais de 905 mil turistas (pernoitam no estado). Dos turistas desembarcados no Aeroporto Internacional dos Guararapes/Recife – Gilberto Freyre, 91% eram brasileiros e 9% de turistas estrangeiros. Destes, 69% ficaram hospedados no Recife, 8% em Olinda, e 7% em Ipojuca. No período do Carnaval, foram contabilizados 63 voos extras, vindos principalmente de São Paulo, Campinas, Porto Alegre e Brasília.
São Paulo continua sendo o principal emissor de turistas nacionais (21%), seguido do Rio de Janeiro (11%), Bahia (7%) e Minas Gerais (5%). Entre os estrangeiros, os principais mercados emissores foram Alemanha (12%), Argentina (11%), França (11%) Itália (10%) e Estados Unidos (10%).  A ocupação hoteleira ficou em torno de 92%, um acréscimo de 5% em relação a 2014, quando o índice marcou 88%. “Este ano, tivemos o acréscimo de cerca de quatro mil leitos em Pernambuco, ainda assim, a ocupação hoteleira aumentou. Esse crescimento demonstra a força do Carnaval do Estado”, destaca Felipe Carreras, secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco. Na RMR, a ocupação foi de 94% e no interior do Estado chegou a 82%, com alguns municípios atingindo 100%. 
A metodologia utilizada na pesquisa realizada pela Empetur é aceita pela Organização Mundial do Turismo (OMT) e leva em consideração os dados coletados em diversas sondagens para projetar números globais.
SECRETARIA DE TURISMO, ESPORTES E LAZER DE PERNAMBUCO
ASSESSORIA DE IMPRENSA

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Recife divulga lista de agremiações campeãs no carnaval 2015

Ao todo, 243 agremiações desfilaram no concurso deste ano.
No Grupo Especial, maracatus de Baque Solto dividiram prêmio.

Fonte: G1/Pernambuco

Os campeões dos grupos Especial, 1 e 2 do Concurso de Agremiações Carnavalescas 2015 do Recife foram anunciados nesta quinta-feira (19). A divulgação ocorreu na Concha Acústica do Sítio da Trindade, no bairro de Casa Amarela, na Zona Norte da capital. Este ano, o concurso contou com a participação de 243 agremiações, que desfilaram durante a folia.
A apuração começou às 10h, com a leitura do regulamento e, em seguida, abertura das notas dos participantes do Grupo 2, seguida pelo Grupo 1 e o Grupo Especial. A premiação do Especial é de R$ 20 mil pra os primeiros lugares; R$ 15 mil para os segundos; e R$ 10 mil para os terceiros colocados nas modalidades Troças, Clube de Frevo, Clubes de Boneco, Blocos de Pau e Corda, Maracatu de Baque Virado, Maracatu de Baque Solto, Caboclinhos e Escolas de Samba. Já as Tribos de Índios, os Bois e os Ursos recebem R$ 10 mil, R$ 5 mil e R$ 3 mil para os 1ºs, 2ºs e 3ºs lugares, respectivamente.
Na modalidade Maracatu Baque Solto, do Grupo Especial, não houve vencedores, uma vez que devido às chuvas no dia do concurso, os seis representantes concordaram em dividir o valor total do prêmio. As agremiações vencedoras nas outras modalidades foram o Boi Maracatu, de Arcoverde, o Urso Cangaçá, de Água Chuva; a tribo de índios Canindé Brasileiro, de Itaquitinga; a Troça Batutas de Água Fria; o Clube de Bonecos Tadeu no Frevo; o Clube de Frevo Bola de Ouro; o Bloco de Pau e Corda Com Você no Coração; os Caboclinhos Tupy; o Maracatu Baque Virado Estrela Brilhante; e a escola de samba Gigante do Samba.
Confira todos os vencedores do Grupo Especial:

>> Bois do Carnaval
1º lugar: Boi Maracatu, de Arcoverde
2º lugar: Boi Mimoso da Bomba do Hemetério
3º lugar: Boi Glorioso, de Bonito
>> Ursos
1º lugar: Cangaçá de Água Fria
2º lugar: Urso da Tua Mãe
3º lugar: Branco do Cangaçá de São Lourenço da Mata
>> Índios
1º lugar: Canindé Brasileiro de Itaquitinga
2º lugar: Tupi Nambá
3º lugar: Tupiniquins
>> Troças
1º lugar: Batutas de Água Fria
2º lugar: Tô Chegando Agora
3º lugar: Abanadores do Arruda
>> Clubes de Boneco
1º lugar: Tadeu no Frevo
2º lugar: Seu Malaquias
3º lugar: O Sapateiro
>> Clubes de Frevo
1º lugar: Bola de Ouro
2º lugar: Girassol da Boa Vista
3º lugar: Lenhadores
>> Bloco de Pau e Corda
1º lugar: Com Você no Coração
2º lugar: Amante das Flores, de Camaragibe
3º lugar: Madeira do Rosarinho
>> Caboclinhos
1º lugar: Tupy
2º lugar: Kapinawá
3º lugar: União Sete Flexas de Goiana
>> Maracatu Baque Virado
1º lugar: Estrela Brilhante
2º lugar: Cambinda Estrela do Recife
3º lugar: Aurora Africana
>> Escola de Samba
1º lugar: Gigante do Samba
2º lugar: Galeria do Ritmo
3º lugar: Estudantes de São José
Confira os vencedores do Grupo 1:

>> Bois do Carnaval
1º lugar: Dourado, de Limoeiro
2º lugar: BA TA TA TA
3º lugar: Boi Sorrizo
>> Ursos
1º lugar: Pé de Lã
2º lugar: Teimoso da Torre
3º lugar: Branco da Mustardinha
>> Índios
1º lugar: Tabajaras
2º lugar: Cobra Coral
3º lugar: Tupi Oriental
>> Troças
1º lugar: Teimoso em Folia
2º lugar: Azulão em Folia
3º lugar: A Japa do Coque
>> Clube de Bonecos
1º lugar: O Menino do Pátio de São Pedro
2º lugar: Meca no Frevo
3º lugar: O Comilão
>> Clubes de Frevo
1º lugar: Maracangalha
2º lugar: Pão Duro
3º lugar: Clube das Pás
>> Bloco de Pau e Corda
1º lugar: Batutas de São José
2º lugar: Artesãos de Pernambuco
3º lugar: Com Amor a Você
>> Caboclinhos
1º lugar: Cahetes de Goiana
2º lugar: Tupinambá
3º lugar: Candidés de Goiana
>> Maracatu Baque Solto
1º lugar: Estrela de Ouro, de Aliança
2º lugar: Estrela Dourada, de Buenos Aires
3º lugar: Águia Dourada, Glória do Goitá
>> Maracatu Baque Virado
1º lugar: Estrela Dalva
2º lugar: Encanto do Pina
3º lugar: Nação Tupinambá
>> Escola de Samba
1º lugar: Limonil da Vila São Miguel
2º lugar: Rebeldes do Samba
3º lugar: Imperadores da Vila São Miguel
Confira os vencedores do Grupo 2:

>> Bois do Carnaval

1º lugar: Boi Fantástico
2º lugar: Boi Misterioso
3º lugar: Boi Estrela
>> Ursos
1º lugar: Urso Manhoso, do Engenho do Meio
2º lugar: Urso Mimoso, de Camaragibe
3º lugar: Urso Melindroso, de Joana Bezerra
>> Índios
1º lugar: Tupi Guarani
2º lugar: Ubirajara
>> Troças
1º lugar: Estrela da Boa Vista
2º lugar: Maria do Frevo
3º lugar: Beija Flor em Folia
>> Clube de Bonecos
1º lugar: O Menino da Federação
2º lugar: Garota da Ilha do Maruim
3º lugar: Bochecudos de Areias
>> Clubes de Frevo
1º lugar: Prato Misterioso
2º lugar: Coqueirinho de Beberibe
3º lugar: Guaimum na Vara
>> Bloco de Pau e Corda
1º lugar: Memórias da Infância
2º lugar: Edite no Cordão
>> Caboclinhos
1º lugar: Flexa Negra da Tribo Truka
2º lugar: Rei Tupinambá
3º lugar: Tribo Tainá
>> Maracatu Baque Solto
1º lugar:  Pantera Nova, Araçoiaba
2º lugar: Gavião da Mata, Glória do Goitá
3º lugar: Leão Vencedor, Chã de Alegria
>> Maracatu Baque Virado
1º lugar: Cambinda Africano
>> Escola de Samba
1º lugar: Criança e Adolescente

Balanço de Coberturas do Carnaval do Recife e Olinda

Fotos: Gabriela Farias / Cláudio Rocha Forrozeirospe
18.02 - Bloco Os Irresponsáveis "É Quem Pode"
17.02 - Casa da Skoll
17.02 - Palco Principal do Carnaval - Marco Zero
16.02 - Casa da Skoll
16.02 - Bloco A Cobra Fumando - Arruda
16.02 - Desfile das Escolas de Samba - Av. Dantas Barreto
16.02 - Palco Principal do Marco Zero
15.02 - Show Tio Bruninho - Parque da Jaqueira
15.02 - Desfile de Blocos - Praça do Arsenal
14.02 - Pólo Buriti com Diego Cabral - Recife
14.02 - Galo da Madrugada
13.02 - Abertura do Carnaval - Marco Zero
11.02 - Carnaval na Casa da Cultura
11.02 - Ensaio com Naná Vasconcelos - Marco Zero
07.02 - Bloco Cachorro que Lambeu o Seu - Jardim Atlântico - Olinda
01.02 - Carreta do Carnaval - Praça do Derby
29.01 - Acerto de Marchas - Pátio de São Pedro


Camburão da Alegria desfila pelas ruas do Bairro do Recife neste Domingo

Fazendo percurso semelhante ao do Galo da Madrugada, o Camburão da Alegria, Bloco dos Policiais que acontece no primeiro domingo após o carnaval, será comandado por Claudionor e Nonô Germano. Além de pai e filho, sobem nos trios a banda Los Cubanos, Pierre e a orquestra de frevo da Polícia Militar.


O Camburão vai sair da Avenida Sul, nas proximidades do Cabanga, e segue pela Praça Sérgio Loreto, Avenida Dantas Barreto e termina o desfile na Avenida Nossa Senhora do Carmo. Este será o segundo desfile do bloco pelo Centro, desde que a folia foi proibida na Avenida Boa Viagem. 

Carnaval de paz e valorização das raízes populares

Um Carnaval de muita alegria, participação popular e paz. A quantidade de crianças nas ruas de Recife, Olinda e no interior foi a prova da tranquilidade do Carnaval de Pernambuco deste ano. Acompanhando diversas manifestações e brincadeiras, na Região Metropolitana e também no interior, ao lado do governador Paulo Câmara, o secretário de Cultura Marcelino Granja resume o que está assistiu a partir de três pontos: milhares de pessoas nas ruas, carnaval feito por blocos e agremiações e diversidade cultural. 


Renata Pires/Secult-PE


“O que nos instiga é que temos um fortíssimo Carnaval de Rua. Pernambuco está trazendo cerca de um milhão de turistas pra cá este ano. É o império do Carnaval feito nas ruas. E é feito nas ruas porque, apesar dos palcos e dos shows muito bacanas que também acontecem, a essência do nosso Carnaval está nas agremiações, nos blocos que revelam nossos valores simbólicos hereditários. Depois, estamos falando de um Carnaval multifacetado. O que vi e estou vendo nesses dias é o povo pernambucano e os visitantes valorizando a nossa Cultura”, diz Marcelino. 


Bernardo Soares/Secult-PE

A presidente da Fundarpe Márcia Souto observa que a grande participação de crianças na folia de Momo tem ainda a importante função de garantir que as nossas manifestações terão público apaixonado pelas próximas gerações. “Vi muita criança, muita gente fantasiada, famílias inteiras brincando juntas, muita orquestra de frevo pelas ruas, em maior quantidade que nos anos anteriores, isso é também transmissão. Um Carnaval que é feito com paz e alegria é um exemplo a ser mantido para a posteridade”, observa Márcia.


Eric Gomes/Secult-PE/Fundarpe


A Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco – ao lado da Secretaria de Cultura do Estado – foram alguns dos órgãos do Governo do Estado que apoiaram a realização do Carnaval em dezenas de cidades do interior do estado, além dos dois maiores polos, Recife e Olinda. 

Fonte: http://www.cultura.pe.gov.br/

Geraldo: “Esse foi o maior Carnaval que o Recife já teve”

Em entrevista coletiva, o prefeito fez um balanço positivo da folia recifense, que reuniu mais de 1 milhão de foliões nos 63 polos. (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR) 
“Nós acabamos de viver o maior e melhor Carnaval que o Recife já teve”. A afirmação do prefeito Geraldo Julio traduz o sentimento do reinado de Momo na capital pernambucana. Um festa do folião, que contou com mais de 2.596 apresentações – sendo 98% de artistas pernambucanos, espalhadas em 63 polos por toda a cidade. Nesta edição, 1,036 milhão de pessoas lotaram as ruas, os parques e praças, durante os cinco dias da folia – no ano passado foram 850 mil. Na tarde desta Quarta-feira de Cinzas (18), em entrevista coletiva, o gestor fez um balanço positivo do Carnaval do Recife 2015.

“Estou feliz por viver esse momento na cidade que nasci; onde crio os meus filhos e, principalmente, por ser o prefeito desse lugar. Visitei inúmeros polos e vi muita gente fantasiada, pulando e os artistas da terra se apresentando naquilo que representa o maior festival de música e dança do mundo. Quem faz uma festa desse tamanho é o folião, o povo, a cidade. Esse foi o maior Carnaval que o Recife já teve”, cravou o prefeito Geraldo Julio.

Algumas novidades também marcaram esta edição do Carnaval, a exemplo da criação de dois novos polos: o do Quartel General do Frevo, na Praça da Independência, e o polo infantil, no Parque da Macaxeira, ampliando para quatro os espaços dedicados às crianças. Outro destaque foi que, pela primeira vez, o Carnaval do Recife contou com internet gratuita, através do programa Conecta Recife, lançado há três meses pela PCR. O aplicativo de Carnaval desenvolvido pela Secretaria de Imprensa da cidade ganhou recorde de downloads: mais de 10 mil.

No Carnaval 2015, o número de turistas que visitou o Recife atingiu 890 mil, 10% a mais do que a folia de 2014. Nesse sentido, uma pesquisa de opinião revela que 93,8% dos visitantes considerou o Carnaval da capital pernambucana bom ou ótimo. Outro dado relevante é que 97,4% dos turistas entrevistados afirmam que voltarão ao Recife e que vão indicar o carnaval para outros visitantes. Para garantir a execução da festa, a PCR investiu cerca de R$ 35 milhões, a partir também do apoio de patrocinadores. “O Carnaval é uma festa muito importante para o Recife, o folião e, principalmente, para muita gente que ganha dinheiro, que trabalha nessa festa. Por isso, nos preocupamos em criar coisas novas e melhorar a organização”, pontuou Geraldo Julio.

Presente ao ato, a secretária de Cultura do Recife, Leda Alves reforçou que o Carnaval representa a alma do povo. “Isso representa muito mais do que expressão folclórica. É a essência do povo nas ruas. O poder público representa apenas a organização de um grande festival de cultura feito pelo povo, que tem o carnaval na sua alma”, reiterou.

Confira as informações completas abaixo:


POLOS E ATRAÇÕES


O Carnaval 2015 no Recife ofertou ao público que compareceu aos 63 polos de folia, 2.596 apresentações. Este ano o recifense ganhou o retorno do Quartel do Frevo na Praça da Independência, no Centro do Recife. A criançada também foi contemplada com mais um polo de animação, no Parque da Macaxeira, ampliando para quatro os espaços dedicados a elas.

E o público demonstrou que aprovou a descentralização da programação, lotando os polos cidade afora. O Marco Zero, no coração do Recife Antigo, recebeu uma média de 150 mil pessoas por dia, com pico de 180 mil no domingo (15). A  Bomba do Hemetério registrou pico de 2.500 pessoas, enquanto que cerca de 20 mil pessoas compareceram ao polo Casa Amarela só no Domingo de Carnaval. A Noite dos Tambores Silenciosos foi responsável por atrair aproximadamente 15 mil pessoas ao Pátio do Terço, na segunda-feira (16). Destaque também para os polos da Lagoa do Araçá, com pico de 8 mil pessoas, e Mustardinha com média de 1.200 pessoas diariamente. Cerca de 3 mil pessoas visitaram, por dia, os quatro polos Infantis. Já nos Polos Comunitários o destaque vai para o Barro, com pico de 2 mil pessoas, e Bola na Rede, que teve pico de 1.100 visitantes. 

Números

- Total de apresentações: 2.596 entre agremiações e atrações de palco
- 98% de atrações pernambucanas

Público

- Total de público – 1,036 milhão

Concursos

- Mais de R$ 700 mil em prêmios
- Agremiações (11 modalidades)
- Rei e Rainha do Carnaval
- Fantasias
- Passistas (Juvenil, Adulto e de Rua)
- Porta-Estandarte (Índio, Caboclinho, Maracatu Baque Virado, Maracatu de Baque Solto, Clubes e Troças de Frevo), Porta-Bandeira e Mestre Sala e Porta-Flabelo.

Apoio

- Total do investimento da Prefeitura do Recife no apoio financeiro às agremiações para o Carnaval 2015: R$ 4,5 milhões
- 264 agremiações receberam apoio financeiro para o Carnaval 2015
- Primeira parcela no valor de R$ 1.841.850,00 foi paga em dezembro. A segunda será paga logo após o Carnaval, mediante prestação de contas e comprovação do desfile.

Serviços

Total de 1.049 banheiros químicos: sendo 537 nos polos de Carnaval, 377 nos polos Comunitários, 30 nos polos Infantis e 105 nos corredores da folia. Do total de banheiros, 38 eram cabines destinadas a pessoas com deficiência física.

CENTRAL DO CARNAVAL

A Central do Carnaval, estrutura montada pela Secretaria de Turismo e Lazer no Bairro do Recife, entre as ruas do Observatório e do Bom Jesus e na Torre Malakoff, para oferecer os mais diversos serviços aos foliões, recebeu mais de 200 mil pessoas e gerou 317 empregos temporários, do último dia 8 de fevereiro até ontem. O apurado da central neste período foi de R$ 373.026.

A central contou com lanchonetes, caixas eletrônicos, balcões de informações turísticas e de achados e perdidos, além de sala de imprensa. Só na Arena Gastronômica, na Rua do Observatório, mais de 35 mil pessoas foram atendidas, movimentando R$ 302 mil. Ao todo, 12 lanchonetes e restaurantes estavam disponíveis no espaço: Mercearia 08, Rei das Coxinhas, Nordeste Sabor, República dos Pasteis, Espetinho da Ceça, Reteteu, Bar da Fava, Plim Pizzas e Massas, Hakata, Ed + Gostoooso e Helano Monterrey, além de um café.

Ainda na Rua do Observatório funcionaram a grife do Carnaval, com oferta de acessórios carnavalescos; o Espaço Beleza, para corte de cabelo, penteados e maquiagem; o estande Nosso Som, de venda de CDs e DVDs carnavalescos; o estande Caras e Cores, que realizou customizações e tatuagens de henna; além do estande Recicriando Arte, de moda e artesanato. E na Torre Malakoff, teve até espaço dedicado à criançada, com recreação e fraldário para os pequenos foliões. Juntos, os serviços movimentaram R$ 71.026. Só no fraldário, foram feitos 142 atendimentos.

Na Rua do Bom Jesus, ficaram o Centro de Atendimento ao Turista (CAT), o balcão de achados e perdidos, a farmácia, os caixas eletrônicos e a sala de imprensa, que contou com estúdios de rádio.

TURISMO E ATENDIMENTO AO TURISTA

Cerca de 890 mil turistas curtiram o Carnaval do Recife, quase 10% a mais do que o ano passado, segundo o Ministério do Turismo. Para atender a essa demanda, foram disponibilizados 65 voos extras, um aumento de 5% em relação aos números do ano passado.

Para munir todos esses visitantes de informações sobre o maior e melhor Carnaval do Recife, 11 Centros de Atendimento ao Turista (CATs) estavam com profissionais capacitados e materiais de divulgação do destino, três a mais do que no ano passado.

Foram 9.823 atendimentos nos CATs espalhados pela cidade, só nos três primeiros dias de folia. Entre as pessoas que procuraram informações, 365 eram estrangeiros e 9.458 brasileiros.

O espaço que mais recebeu turista foi o CAT localizado na Central do Carnaval, que contabilizou 5.215 atendimentos, seguido do CAT da Rua do Observatório, procurado por 1.996 pessoas. Em 2014, foram registrados 4,7 mil atendimentos nos oito CATs disponíveis.

Receptivo -  No  Aeroporto, os turistas foram recebidos por uma orquestra de frevo com passistas do dia 6 à Terça-feira Gorda, nos expedientes da manhã e da tarde. (Entre os dias 6 e 9 e no dia 13, o receptivo foi montado das 8h às 18h. Dos dias 10 a 12, funcionou das 10h às 14h. No dia 14, funcionou das 8h às 12h. E de 15 a 17, funciona das 10h às 14h)

No TIP, os visitantes também chegaram embalados por uma orquestra de frevo com passistas. No metrô, houve receptivo nas estações Central, Aeroporto e Antônio Falcão no Sábado de Zé Pereira, das 7h às 13h.

PESQUISAS DE OPINIÃO

Turistas – Para saber o que os turistas que vieram curtir o Carnaval na cidade acharam da festa, a Secretaria de Turismo de Lazer encomendou uma pesquisa ao Centro Integrado de Pesquisas e Comunicação (Cipec). Os foliões foram abordados nos principais polos de animação, no Galo da Madrugada, em Boa Viagem e nos principais hotéis da cidade. De 13 a 15 de fevereiro, foram entrevistadas 821 pessoas. O resultado não poderia ser melhor.

A festa superou as expectativas de 38,9% dos visitantes. Ao todo, 93,8% dos entrevistados avaliaram o Carnaval recifense como bom ou ótimo. Entre os pontos positivos da folia, foram destacados: blocos de rua (27,8%), a animação da cidade (26,1%), os shows gratuitos (18%) e a cultura local (14,4%).

Outros aspectos positivos destacados foram: a animação do público (86%), decoração (85%), programação de shows (82,6%), desfiles e agremiações (75,5%), segurança e policiamento (74,7%) e organização dos polos dos bairros (73%).

Depois de curtir a festa, 97,4% das pessoas afirmaram que pretendem voltar à cidade e 97,4% disseram que vão recomendar aos amigos a festa recifense.

Além de pular, muitos visitantes contaram ter aproveitado a estada para conhecer nossos atrativos. Ao todo, 49,7% dos entrevistados visitaram o Paço do Frevo, 45,4% foram ao Centro de Artesanato e 29% estiveram no Cais do Sertão.

A maioria declarou uma boa impressão com relação ao destino Recife. Exatos 91,9% dos entrevistados avaliaram a cidade como boa ou ótima. Entre os aspectos positivos do destino, foram ressaltados: a hospitalidade do recifense (83,6%), o aeroporto (66,6%), os atrativos turísticos (63,2%), a preservação do patrimônio histórico e cultural (63,1%) e os meios de hospedagem (56%).

Recifenses – A partir de uma amostra de 201 foliões, o Cipec, a pedido da Secretaria de Turismo de Lazer, também coletou a opinião dos recifenses com relação ao Carnaval, que coloriu e animou várias partes da cidade. Ao todo, 83,1% avaliaram a festa como boa ou ótima. E 95,5% recomendariam a festa.

Um total de 24% dos entrevistados declarou que suas expectativas com relação à folia foram superadas e outros 54,7% disseram ter sua expectativa plenamente atendida. Com relação à programação de shows e apresentações culturais, 56,2% dos foliões avaliaram as atrações oferecidas como muito importantes.

Já no quesito segurança pública, 72% dos entrevistados avaliaram o esquema montado como positivo. Outros 67,2% avaliaram o transporte público como positivo e 69,2% deram sua aprovação à limpeza pública durante a festa.

Ocupação hoteleira – Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hoitéis (ABIH), a ocupação hoteleira no período momesco ficou em torno de 90%, percentual ainda mais expressivo quando se leva em conta que, do ano passado para cá, a quantidade de leitos oferecidos na cidade cresceu 27%.

ACHADOS E PERDIDOS

O serviço de Achados e Perdidos contabilizou 66 documentos e objetos. Foram encontradas 19 Carteiras de Habilitação (CNH), 12 Carteiras de Identidade, nove cartões de banco, entre outros. Seis documentos já foram devolvidos.

Nesta quinta e sexta-feira (dias 19 e 20), todo o material estará disponível na sala de Desenvolvimento Turístico da Secretaria de Turismo e Lazer, que fica no sétimo andar do prédio da Prefeitura do Recife, com atendimento em horário comercial (8h às 12h e das 14h às 18h).

A partir de segunda-feira (23), o que ainda não tiver sido resgatado será transferido para a agência central dos Correios, que fica na Avenida Guararapes, no Centro da cidade.
Balanço Geral – Achados e Perdidos

Documentos/objetos deixados no CAT
2014
2015
Carteira de Identidade
52
12
Cartões de banco (crédito/débito)
40
9
Carteira de Habilitação (CNH)
28
19
Molhos de chaves
13
3
Carteira de estudante
10
3
Registro profissional
11
CPF
6
1
Título de eleitor
5
1
Cartão do VEM (Vale Eletrônico Metropolitano)
5
3
Cartão do SUS (Sistema Único de Saúde)
3
Carteira de Trabalho – CTPS
2
1
Cartões do PIS (Programa de Integração Social)
1
Crachá
1
Cartões de plano de saúde
14
4
Passaporte: (devolvido)
1
Cartão cidadão
 
1
Licenciamento de veículo
 
1
Carteiras
 
7
Celular
 
1
Total
192
66
Devolução de documentos
4
6

A FOLIA NA INTERNET

Aplicativo de Carnaval – O aplicativo mobile desenvolvido para o Carnaval do Recife 2015 foi um sucesso, com 10,8 mil downloads. O serviço oficial para Android e iOS contém as principais informações sobre a folia recifense, como polos, programação, serviço de busca de atrações, além da selfie de Carnaval e telefones úteis.

Redes sociais – Trabalho desenvolvido através do Facebook, Instagram, Twitter, Youtube, Flickr e, pelo segundo ano, o Tumblr “Como Eu Me Sinto no Carnaval do Recife”. De 13 a 17 de fevereiro, o alcance total dos canais foi de mais de 800 mil pessoas, 30% a mais que no ano passado.

Uma equipe dedicada exclusiva formada por 17 profissionais atuaram na coordenação, criação e gestão de conteúdo, além de relacionamento com os usuários.

No Facebook Carnaval do Recife, principal canal de interação, tivemos o aumento de 90% da base de curtidores, chegando a mais de 25 mil. Através deste canal, tivemos cerca de 45 mil interações com os conteúdos, através de comentários, compartilhamentos e curtidas.

Hotsite oficial – Nos dias da folia, registramos 27 mil acessos no hotsite oficial (www.carnavalrecife.com), 30% a mais do que no ano passado. Através do hotsite, também foi transmitido durante todos os dias de Carnaval, a programação do Marco Zero.

Conecta Recife – Pela primeira vez, o Carnaval do Recife contou com internet gratuita. O programa Conecta Recife, lançado há três meses pela Prefeitura do Recife, através da Empresa Municipal de Informática (Emprel), em 74 pontos da cidade foi reforçado durante a folia e contou com 17.455 acessos entre a quinta-feira (12) da semana pré e ontem (17). O que significa uma média de 3491 acessos por dia.

Só no Bairro do Recife foram 4.825 conexões. Já nos pontos de wifi da Avenida Boa Viagem, um dos principais pontos turísticos da cidade, 4.193 acessos foram registrados. Em torno de 3.300 pessoas se cadastraram para utilizar o serviço gratuito durante a Festa de Momo, totalizando 76.457 usuários cadastrados.

No primeiro Carnaval do Conecta Recife, a Emprel reforçou o serviço. No Marco Zero, na Rua do Bom Jesus e na Praça do Arsenal foram colocados mais pontos de rádios nos hotspots já existentes, permitindo assim que mais pessoas se conectassem simultaneamente. Normalmente, em cada ponto de wifi, 100 pessoas podem utilizar o serviço ao mesmo tempo. Durante a festa, em média, a capacidade subiu para 300 usuários.

No Marco Zero, por exemplo, temos quatro hotspots e 400 pessoas podem se conectar. Durante o Carnaval, em média, 1200 desfrutaram do sinal gratuito de forma simultânea. Entre os principais objetivos do Conecta Recife está a inclusão digital da sociedade, a promoção do engajamento social, cultural e político do cidadão recifense e o acesso à informações de turismo e lazer aos visitantes. A rede é disponibilizada através de sinal wifi (sem fio), próximo aos pontos sinalizados com a placa do projeto.

Locais contemplados com o Conecta Recife:

Região Noroeste – Praça do Derby (2 zonas wifi); Parque da Jaqueira (5 zonas wifi); Parque Santana (3 zonas wifi); Praça do Morro da Conceição; Praça do Trabalho; Sítio Trindade (2 zonas wifi); Mercado de Casa Amarela;

Região Centro – Praça da República, Casa da Cultura (3 zonas wifi), Parque 13 de Maio (4 zonas wifi); Rua da Aurora; Praça do Arsenal; Rua da Guia; Rua do Bom Jesus; Avenida Rio Branco; Av. Marquês de Olinda; Forte do Brum; Rua da Moeda; Av. Alfredo Lisboa; Rua Madre de Deus; Marco Zero (4 zonas wifi); Forte das Cinco Pontas; Mercado da Boa Vista; Mercado de São José (2 zonas wifi);

Região Oeste – Mercado do Cordeiro; Mercado da Madalena (2 zonas wifi); Praça da Avenida do Forte;

Região Sudoeste – Mercado de Afogados; Praça de Jardim São Paulo; Praça de San Martin;

Região Sul – Lagoa do Araçá (2 zonas wifi); Pina, em frente ao JCPM e em frente ao Hotel Transamérica; Avenida Boa Viagem, em frente ao Hotel Atlante Plaza, nos 1º, 2º e 3º jardins e nos quiosques 3,16,18,20,22,24,26,28,30,32,33,34,38,45 e 51; Pracinha de Boa Viagem (2 zonas wifi); e Parque Dona Lindu (3 zonas wifi).onecta no Carnaval

MOBILIDADE

A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) preparou uma grande operação para garantir a mobilidade dos foliões durante o Carnaval do Recife 2015. O serviço do Expresso da Folia durante o Galo da Madrugada e nos demais dias de festa, a restrição de circulação nas pontes Princesa Isabel e Buarque de Macedo, por onde apenas ônibus e táxis puderam trafegar, a criação de cinco pontos de táxis provisórios e o aumento do Convênio Táxi Metropolitano foram as principais ações realizadas neste ano. Durante o sábado de Zé Pereira, no Galo da Madrugada, as ações tiveram o auxilio de um efetivo de 130 agentes e 120 orientadores de trânsito. Nos outros dias de folia, o Bairro do Recife contou com a presença diária de um efetivo de 120 agentes e 70 orientadores de trânsito. Além disso, uma equipe de 30 agentes de trânsito e transportes atuou diariamente na fiscalização e na orientação dos serviços de táxi e Expresso da Folia.

Expresso da Folia-  Pelo segundo ano consecutivo, o serviço do Expresso da Folia iniciou a sua operação durante o Sábado de Zé Pereira para atender os foliões que brincaram no Galo da Madrugada. O Expresso da Folia no Galo contou com 25 ônibus, que saíram dos shoppings RioMar, Recife, Plaza e Tacaruna e levaram cerca de 5.392 passageiros (em 2014 foram 4.100) até as avenidas Martins de Barros e Cais de Santa Rita. Mais uma vez, a operação do Expresso durante o Galo da Madrugada foi muito bem recebida pelos foliões, que optaram pelo conforto, segurança e praticidade do serviço. Houve um aumento de 30% na adesão do serviço durante o Galo da Madrugada, em relação ano Carnaval de 2014.

No Expresso da Folia tradicional, que levou os foliões para brincar no Bairro do Recife, das 18h do sábado até as 5h da Quarta-feira de Cinzas, 32 ônibus saíram dos shoppings RioMar, Recife, Plaza, Tacaruna e Boa Vista. A passagem do Expresso custou R$ 6 e deu direito à viagem de ida e volta. Ao todo 49.589 passageiros foram transportados até o Bairro do Recife. No total, cerca de 1.320 viagens foram realizadas nos quatro dias de operação. Com o Expresso no Galo, totaliza 54.981 passageiros.

A segunda-feira de Carnaval foi o dia em que mais pessoas utilizaram o serviço (19.370) e o Shopping Tacaruna o que teve maior presença de público (15.000).

A acessibilidade dos foliões foi respeitada e todos puderam brincar o Carnaval do Recife. Os 57 ônibus utilizados no serviço estavam equipados com elevadores para pessoas com deficiência ou baixa mobilidade.

Táxi Metropolitano – Neste ano, além de Recife, Olinda, Paulista, Camaragibe, São Lourenço da Mata, Jaboatão dos Guararapes e Abreu e Lima, o convênio contou com veículos dos municípios de Ipojuca e Itapissuma. A circulação dos táxis desses municípios no Recife foi autorizada entre 18h da sexta (13) até às 12h desta Quarta de Cinzas (18). Dessa forma, a frota aumentou de 6.125 para cerca de 9 mil táxis autorizados a realizar o embarque e o desembarque das milhares de pessoas que brincaram o carnaval do Recife.

A CTTU implantou cinco pontos de táxis provisórios no Bairro do Recife e Santo Antônio. Eles estavam localizados na Rua Madre de Deus, no cruzamento com a Rua Professor Aloísio Magalhães, na Avenida Martins de Barros, próximo ao Ministério Público e na Ponte Buarque de Macedo. Além disso, outros dois pontos localizados no Cais de Santa Rita e na Avenida Doutor José Mariano funcionaram durante o sábado de Zé Pereira, atendendo os foliões que curtiram o Galo da Madrugada.  Houve ainda um reforço na fiscalização de transportes nesses locais com a finalidade de coibir possíveis irregularidades por parte dos taxistas. Agentes de trânsito monitoraram os pontos.

Pelo 0800.081.10.78 da Companhia, entre a noite da sexta (13) e a madrugada desta quarta (18), foram recebidas 28 ligações denunciando atitudes abusivas por parte de condutores de táxi, sendo a reclamação com maior número de ligações, a recusa de passageiros.Todas as denúncias serão apuradas pela CTTU e os taxistas serão chamados à Companhia para maiores esclarecimentos.

Operação de Trânsito – A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) iniciou a operação especial de trânsito na noite da quarta-feira (11), com o fechamento da Ponte Duarte Coelho, onde foi montada a alegoria do Galo da Madrugada. A partir da sexta-feira (13), as vias que compõem a ilha do Bairro do Recife e os bairros de Santo Antônio e São José foram bloqueadas para garantir a tranquilidade dos foliões que brincaram o Carnaval no Bairro do Recife e no Galo da Madrugada, respectivamente. Já a partir do domingo (15) até a madrugada da Quarta-feira de Cinzas (18), a CTTU implantou a restrição de circulação nas pontes Princesa Isabel e Buarque de Macedo, que ficaram abertas apenas para a circulação de ônibus e táxis. Além disso, a Ponte Maurício de Nassau teve a circulação proibida para todos os tipos de veículos, ficando exclusiva para a passagem dos pedestres.

Na sexta-feira (13), dia da abertura do Carnaval, a Ilha do Bairro do Recife começou a ser interditada no início da tarde. As principais vias (Av. Rio Branco, Marquês de Olinda e Av. Alfredo Lisboa) ficaram bloqueadas a partir das 14h. Foram cerca de 30 ruas bloqueadas para o tráfego de veículos. O horário das interdições foram sempre das 14h às 5h, garantindo o período de 6h às 13h para o reabastecimento dos quiosques, bares e restaurantes localizados no local.

No sábado (14), a CTTU realizou bloqueio também nas ruas que ficam entre a Av. Guararapes e Praça Sérgio Loreto. Cerca de 80 vias, entre elas a Rua do Sol, ficaram interditadas até o fim da passagem do Galo da Madrugada. Todas já foram liberadas para a passagem de veículos.

No período de Carnaval, as equipes de fiscalização de trânsito atuaram com foco na orientação de condutores e pedestres, com o intuito de garantir a segurança viária e proporcionar maior fluidez ao tráfego. As multas foram aplicadas em casos onde houve a insistência em desrespeitar as leis de trânsito por parte dos condutores. Foram realizadas 116 autuações a veículos, sendo a maioria das notificações por estacionamento em local proibido. Houve ainda a remoção de 25 veículos para depósito.

Acidentes de trânsito – Das 18h da sexta-feira (13) até as 6h da manhã desta quarta-feira de Cinzas (18), a central da CTTU registrou 72 acidentes de trânsito, com 24 vítimas, contra 107 do ano passado.

Estacionamento gratuito – Com o objetivo de melhorar a mobilidade das pessoas no Bairro do Recife, pelo terceiro ano seguido, a iniciativa da Prefeitura do Recife de abrir os dois estacionamentos do seu edifício-sede e realizar parcerias para que o Tribunal Regional do Trabalho e o Tribunal Regional Federal (TRF) também disponibilizassem seus estacionamentos, foi um sucesso. Mais de 19 mil veículos  passaram pelos quatro espaços entre a sexta-feira (13) e a Terça-feira Gorda.

Sexta-feira

PCR1 – 222 veículos
PCR2 – 488 veículos
TRT – 357 veículos
TRF – 426 veículos
Total – 1.493

Sábado

PCR1 – 409
PCR2 – 762
TRT – 559
TRF – 795
Total – 2.525

Domingo

PCR1 – 1.340
PCR2 – 1.468
TRT – 1376
TRF – 1.116
Total – 5.300

Segunda-feira

PCR1 – 1.133
PCR2 – 1.990
TRT – 928
TRF – 1.578
Total – 5.629

Terça-feira

PCR1 – 333
PCR2 – 729
TRT – 877
TRF – 2.392
Total – 4.331

TOTAL DOS CINCO DIAS – 19.278 veículos

CONTROLE URBANO

Durante o Carnaval 2015, a Secretaria-Executiva de Controle Urbano (Secon) e a Companhia de Serviços Urbanos (Csurb) disciplinaram o comércio informal. Da sexta-feira até a madrugada da Quarta de Cinza foram apreendidos cerca de 6  mil latas de bebidas (cerveja, água e refrigerante), 113 isopores, 61 carroças, três carrinhos de mão, 36 mesas, 361 cadeiras plásticas, 185 garrafas de água falsificadas, somente no Bairro do Recife. Todo o material, apreendido em local irregular, poderá ser retirado pelos comerciantes, que receberam um cartão para pegar a mercadoria, a partir de quinta-feira (19), sem custo.

Para garantir toda esta organização, ao todo 2.241 fiscais da Secon e Csurb realizaram monitoramento durante o Carnaval. Totalizando um aumento de 987 fiscais a mais durante os dias de folia. Foram montadas barreiras de fiscalização no Marco Zero, Rua da Moeda, Paço Alfândega, Santo Antônio, São José, Avenida Guararapes, Pátio de São Pedro, Pátio do Terço, Dantas Barreto e Livramento, com o objetivo de inibir a ação do comércio informal, melhorando a mobilidade dos foliões.

Para o desfile do Galo da Madrugada, no sábado (14), também houve um esquema especial. Ao todo, foram autorizados 56 camarotes, nos quais todos previamente fiscalizados. Dando suporte ao Corpo de Bombeiros, houveram 25 interdições de camarotes por falta de segurança e licença para funcionar. Desde a semana-pré, uma operação de desobstrução do trajeto do bloco e fiscalização dos camarotes foi realizada, garantindo a organização e a mobilidade das pessoas. Além disso, 48 pontos de bloqueio do comércio informal foram montados no dia do desfile. Os principais deles: Praça Sérgio Loreto, Forte das Cinco Pontas, Pátio do Carmo, Dantas Barreto, Praça da Independência e Avenida Guararapes. Para essa fiscalização foram destinados 508 profissionais.

No Bairro do Recife, ocorreram duas notificações por uso indevido do passeio público. Na Rio Branco, um estabelecimento foi interditado por funcionar sem licença. Ao todo, 402 blocos foram licenciados para o Carnaval, sendo 210 na semana pré, 161 no Carnaval e 31 no pós.

LIMPEZA URBANA

Limpeza – Para cuidar da limpeza da cidade durante os dias de festa, a Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) contou com o trabalho de 1.075 garis e 100 fiscais. Os serviços incluíram a limpeza durante e após a programação, com a realização de mutirões diários. Ao fim da operação, foi registrada a remoção de 459 toneladas de lixo, sendo 448 toneladas de resíduos sólidos e 11,2 toneladas de material reciclável. Em 2014 o número total chegou a 416 toneladas, o que corresponde a 405 toneladas de resíduos sólidos. Somente no Galo da Madrugada, a equipe da Emlurb recolheu 166 toneladas de lixo.

O reforço na limpeza foi realizado em todos os polos carnavalescos, garantindo o conforto para a população. Para a organização dos espaços as equipes puderam contar com quatro sugadores para retirar confetes e pequenos papéis e duas varredeiras mecânicas, além do apoio de caminhões, carros-pipa e compactadores de lixo. Para a desinfecção das vias, os profissionais utilizaram 1,7 mil litros de detergente, 400 litros de creolina e 5,2 mil litros de essência. Ainda durante os festejos, foram disponibilizados 320 contenedores (lixeiras grandes) de 240 litros em pontos estratégicos da cidade.

Trabalho de educação socioambiental – A campanha Limpei Recife entrou na sua terceira edição e sensibilizou os foliões para os cuidados com o meio ambiente, incentivando o descarte de garrafas PET e latas de alumínio. Com as crianças, os articuladores socioambientais da Emlurb abordaram a prática da coleta seletiva, os cuidados com o mobiliário urbano, arborização e a importância de manter limpos os canais da cidade. Os profissionais trabalharam com teatro, promoveram jogos temáticos e desfilaram com o bloco “3R’s na Folia”, que divulgou os conceitos de reduzir, reutilizar e reciclar. A equipe também presenteou a criançada com itens como sombrinhas, tambores, tiaras e gravatinhas feitas a partir de papelão e garrafas PET.

Trabalho com Catadores – Durante a festa, cinco cooperativas de catadores puderam comercializar materiais recicláveis recolhidos por catadores avulsos. Os resíduos foram entregues em dois pontos de comercialização instalados para receber os materiais, com a remuneração realizada no ato da entrega. A comercialização acompanhou uma tabela de preços padronizada com valores de mercado, evitando a figura do atravessador e garantindo uma arrecadação maior para os recicladores. Todo o processo foi organizado e fiscalizado pela Emlurb e pela Secretaria de Desenvolvimento e Planejamento Urbano do Recife. A ação arrecadou 7,9 toneladas de materiais entre latinhas, garrafas PET e plástico.

EcoPontos Recicláveis – Catorze Pontos de Entrega Voluntária (PEV´s e­ lixeiras coloridas para  a colocação   de   recicláveis)  foram implantados no Galo   da   Madrugada e 12 no bairro do Recife, que somadas as cinco já existentes no local, totalizaram 17 pontos de coleta. Os EcoPontos têm capacidade para mil litros de lixo e foram colocados em lugares estratégicos como nas avenidas Cais do Apolo, Rio Branco, Marquês de Olinda, Alfredo Lisboa, Cais da Alfândega, nas ruas do Bom Jesus, do Apolo, do Brum, da Moeda e da Madre de Deus.

POOL DE TVs

Transmissão on-line – Não bastasse atrair uma verdadeira multidão aos focos da folia, o Carnaval do Recife este ano também conquistou o interesse e a curiosidade de quem não pôde estar presente ou quis curtir os shows no conforto de casa, consolidando o pool de TVs. De sexta (13) à terça-feira (17), o pool de imagens criado pela Prefeitura do Recife, com o apoio de sete câmeras, levou com alta qualidade para todo o Brasil e várias partes do mundo, as atrações que animaram o palco montado no Marco Zero, no Bairro do Recife.

A transmissão ao vivo realizada pelo site: www.carnavalrecife.com contou, nos cinco dias, com 27 mil acessos, não só do Brasil, mais também de países como Estados Unidos, Canadá,  Austrália e Nova Zelândia. Destaque para o domingo (15), quando 6.600 pessoas acompanharam os shows de Silvério Pessoa, Lula Queiroga e Tibério Azul, Nação Zumbi, Otto e O Rappa.

TV Aberta – As apresentações também foram transmitidas em TV Aberta. Foram nove horas diárias de transmissão, em média. Destaque para a retransmissão simultânea em  rede nacional pelas redes  TV Cultura (30 horas) e  Band (20 horas).  A realização do pool também beneficiou as TVs locais, disponibilizando imagens para a TV Jornal,  TV Clube e TV Tribuna. A Globo Nordeste usou nossas imagens em entradas ao vivo para todo o Brasil em seus telejornais.

Além do site oficial do Carnaval (www.carnavalrecife.com), que teve 27 mil acessos de vários lugares do mundo, transmitiram as imagens do pool de TVs os sites da TV Cultura, NE10, Pernambuco.com e Leia Já.

Estúdios de rádio – Pela primeira vez, a Prefeitura do Recife montou um espaço exclusivo para as rádios. Com isso, os radialistas puderam transmitir o Carnaval do Recife em lugar privilegiado, de frente para o palco do Marco Zero e sem ocupar o espaço dos foliões, já que os estúdios ficaram suspensos.

DIREITOS HUMANOS

Nos quatro dias de folia, os espaços de proteção instalados pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos registrou 325 atendimentos: Marco Zero (138), Pátio do Carmo (42) e Ibura (112), além do Galo da Madrugada (33), em que crianças e adolescentes participaram das oficinas lúdicas. Outros 332 foram flagrados em situação de trabalho infantil e cadastrados pelas equipes volantes.

Os Espaços de Proteção funcionaram como local de acolhimento a crianças e adolescentes identificadas nas situações de trabalho ou exploração, onde participaram de atividades culturais e artísticas, além de receberem alimentação.

Após o evento, as informações coletadas (dados pessoais das crianças, adolescentes e responsáveis) serão encaminhadas aos Conselhos Tutelares, Ministério Público, através das promotorias da Infância e de Guarda e Adoção. As secretarias de Assistência Social dos municípios de Olinda, Jaboatão e Paulista também serão comunicadas para ciência das situações e acompanhamentos ou solicitações de medidas de proteção dos residentes de cada cidade. Os casos cadastrados e reincidentes são encaminhamentos aos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) para que a Prefeitura do Recife realize ações de prevenção/orientação junto às famílias de forma permanente.

Além do trabalho realizado nos espaços de proteção, a equipe de educadores sociais do Serviço Especializado em Abordagem Social – SEAS circularam no entorno do local de realização da festa realizando intervenções voltadas à sensibilização da população quanto aos direitos das crianças e adolescentes e à busca ativa de situações de trabalho infantil, negligência, exploração sexual e outras violações de direitos. Cerca de cinco mil pessoas foram sensibilizadas através da distribuição de material informativo.

Já no Galo da Madrugada o segmento da Pessoa com Deficiência no Recife pode contar com 120 vagas no Camarote da Acessibilidade, em parceria com o Governo do Estado através da Superintendência Estadual de Apoio à Pessoa com Deficiência (SEAD).

Também foram trabalhadas campanhas permanentes da PCR como “Recife sem preconceito e discriminação”, realizada pela Gerência de Livre Orientação Sexual (GLOS), onde uma dupla de drag queens fizeram inserções no Pátio de São Pedro com esquetes de teatro sobre o assunto.

SAÚDE

O Carnaval do Recife, no âmbito da Rede Municipal de Saúde, ocorreu dentro da normalidade, nos serviços de Promoção à Saúde, Redução de Danos, Upinhas 24h, Pronto Atendimento das Policlínicas e Maternidades.

A Prefeitura intensificou os plantões de profissionais para garantir um Carnaval com mais saúde para os foliões e a população em geral. Um total de 2.800 trabalhadores das áreas médica, de enfermagem (SAMU, Policlínicas, Maternidades e Upinhas 24h), Vigilâncias Sanitária, Epidemiológica e  Ambiental, Redutores de Danos e Apoio, trabalharam durante a festa.

SAMU 192 – Foram montados cinco postos fixos do SAMU 192 no percurso do Galo da Madrugada e um posto no Marco Zero. Durante o Carnaval, as unidades móveis do SAMU 192 continuaram disponibilizando também atendimento nos polos descentralizados. O SAMU 192 realizou 871 atendimentos, desses 545 foram realizados no desfile do Galo da Madrugada. Cerca de 28% destes foram em decorrência do uso abusivo de bebidas alcoólicas,  principalmente entre mulheres jovens, na faixa de 11 a 30 anos de idade.

Serviço de Pronto Atendimento – A rede municipal de saúde contou com sete serviços de Pronto Atendimento, com incremento de profissionais neste Carnaval, além das Upinhas 24h – Dr. Moacyr André Gomes (Av. Norte), Dr. Hélio Mendonça (Córrego do Jenipapo) e Dra. Fernanda Wanderley (Linha do Tiro). Foram realizados 5.009 atendimentos, com destaque para as urgências clinicas e pediátricas (2.605 e 1.831 respectivamente), 230 atendimentos odontológicos, 139 em traumas, 26 cirurgias e 178 em ortopedia.

Maternidades – As três maternidades do Recife funcionaram regularmente neste período, realizando 186 partos. Com atendimento total de 918 mulheres (550 na triagem, 149 internamentos, 16 curetagens, 1 contracepção de emergência, 54 transferências).

DST / AIDS  e redução de danos – Novecentos mil preservativos foram disponibilizados, representando um incremento de 38% destes insumos, quando comparando ao ano de 2014. Foram distribuídos durante o período pré-carnavalesco nas Unidades de Saúde e no período carnavalesco nos seis estandes, para ações de promoção à saúde e redução de danos nos polos: Arsenal, Pátio do Carmo, Ibura, Várzea, Nova Descoberta e Jardim São Paulo, além de 20.700 pulseirinhas de identificação para crianças.

Realizaram teste rápido para HIV 951 pessoas (548 homens e 403 mulheres), sendo identificados 18 casos positivos (14 homens e 4 mulheres). As pessoas que tiveram testes positivos receberam aconselhamento no local do teste e foram orientadas a procurar o serviço de referência. Após 15 dias a vigilância fará a busca ativa para acompanhar o desfecho. A testagem rápida continuará no Polo do Ibura nesta quarta-feira (18/02).

Vigilância Sanitária – Durante o período pré-carnavalesco foram capacitados comerciantes informais/padronizados para atuarem neste período, garantindo assim o consumo de alimentos de boa qualidade. Também foram desenvolvidas atividades de forma preventiva com inspeções sanitárias, em farmácias e drogarias.

Foram realizadas um total 15.694 inspeções – dobrado o número de inspeções -, entre essas: 163 comércio formal, 12.816 comércio informal / padronizados, 2.502 módulos sanitários, 10 fábricas de gelo, 72 camarotes, 42 trios elétricos, 68 drogarias, 4 ambulâncias e 17 inspeções de postos de saúde do Carnaval, gerando 156 apreensões e inutilização de produtos e alimentos (180,25 kg de carne bovina, 1500 unid. salgados, 35 kg de alimentos, 18 kg de maionese, 25 kg de ketchup, 10 kg de manteiga, 100 sacos de água, 356 litros de batida, 30 unidades de espuminha), 5 interdições e aplicadas 35 infrações.

Vigilância Epidemiológica – O Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde manteve seu funcionamento 24h dando respostas imediatas a surtos e emergências em saúde publica que por ventura viessem a surgir. Foram recebidas  6 notificações de dengue. As notificações recebidas geraram 22 investigações realizadas.

Vigilância ambiental e controle de zoonoses – Setenta e seis polos trabalhados, 3.135 imóveis inspecionados, 20 unidades de saúde com aspiração para Aedes, 1.599 tratamentos para eliminação de focos da dengue.

SEGURANÇA URBANA

A Guarda Municipal do Recife reforçou a segurança durante o Carnaval, com 300 agentes por dia nos polos centralizados e com motos patrulhas nos polos descentralizados, além dos estacionamentos da PCR, TRT e TRF. Os agentes detiveram cerca de 20 pessoas, entre sexta (13) e terça-feira (17), envolvidas em casos de agressão, desordem e venda de entorpecentes. Também foram recolhidos documentos perdidos, como cartões, carteiras de identidade e passaporte.

Durante o Galo da Madrugada o esquema de segurança da Guarda Municipal envolveu 100 agentes do patrimônio e 60 do Grupo Tático Operacional (GTO). Na dispersão do desfile, 127 pessoas foram detidas envolvidas em brigas e desordem. Além disso, os agentes prestaram assistência a 20 pessoas que precisaram ser encaminhadas aos postos médicos.

Videomonitoramento – As câmeras da PCR registraram neste Carnaval 119 ocorrências relacionadas a trânsito, controle urbano, infraestrutura e segurança. Todas foram encaminhadas aos órgãos competentes para apuração. Diversos polos de folia foram monitorados 24 horas por dia para garantir uma festa tranquila, como os parques da Macaxeira, Jaqueira, Santana e a Lagoa do Araçá, assim como os estacionamentos do Cais do Apolo. A prefeitura possui 100 câmeras instaladas na cidade e acesso às imagens dos mais de 500 equipamentos da Secretaria de Defesa Social.

APOIO À MULHER

A Secretaria da Mulher do Recife esteve presente em 22 polos durante o carnaval. Ao todo, a equipe técnica distribuiu 60 mil materiais informativos com os principais telefones da rede de enfrentamento à violência. Houve um aumento de 20% em relação a 2014.

O disque orientação do Centro de Referência Clarice Lispector, o Liga Mulher, prestou orientação a dois casos de violência doméstica, ambos na residência das vítimas. No espaço, localizado na Central do Carnaval, na Rua do Observatório, não há registro de casos.

No bloco Nem com Uma Flor, ocorrido na semana pré-carnavalesca, no dia 12 de fevereiro, cerca de 4 mil mulheres estiveram presentes a favor da luta pelo fim da violência de gênero. Este número teve um aumento de 34% em relação ao ano passado. Quase 11 mil camisas foram distribuídas ao longo de dois dias para o evento.

PROCON RECIFE

O órgão foi às ruas para coibir práticas irregulares durante o Carnaval do Recife 2015. No período de 13 a 17 de fevereiro, bares e restaurantes foram fiscalizados acerca de práticas abusivas que acabam se tornando frequentes nessa época, como por exemplo, as cobranças de taxa de consumação e taxa para reserva ou ocupação de mesas e cadeiras, ambas proibidas pela Lei Municipal nº 16.705/2001 e Lei Federal nº 8.078/1990 – Código de Proteção e Defesa ao Consumidor. Foi constatada a cobrança de taxa para ocupação de mesas e cadeiras por dois estabelecimentos, Estação Sabor e Antônio Gomes da Silva, ambos localizados na Rua Bom Jesus. O Procon também dispôs de um posto para atendimento e orientação dos foliões, além de serem realizadas panfletagens no entorno do Marco Zero e Praça Arsenal da Marinha, informando os consumidores acerca das cobranças ilegais.