quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Paço do Frevo atinge a marca de 500 mil visitas

img_alt
Número foi celebrado com festa e prêmios para a estudante Carla Oliveira, que foi ao museu pela primeira vez na tarde de hoje e cruzou a linha de meio milhão de atendimentos. (Foto: Cortesia)

O frevo confirmou na tarde de hoje sua vocação para reunir multidões. Por volta das 14h30, o Paço do Frevo, equipamento de salvaguarda do gênero musical que conta os primeiros capítulos da história do país, atingiu a marca de 500 mil visitas registradas, desde a inauguração do equipamento, em fevereiro de 2014.
Ao entrar no museu, a estudante Carla Oliveira, 26 anos, entrou também para a história, cruzando a impressionante marca de meio milhão de visitantes atendidos pelo equipamento. Carla foi recebida com festa e vários presentes. Ganhou passe livre para voltar quantas vezes quiser ao museu por um ano, ecobag e kit do Paço do Frevo com voucher para o Malakoff Café e a Me Poupe Loja Colaborativa.
A comemoração vai continuar em outubro, quando a rua em que Carla mora receberá uma edição especial do Arrastão do Frevo. “Nunca tinha visitado o Paço antes. Ouvia falar, mas nunca imaginei que pudesse ser tão maravilhoso. Foi minha primeira vez e já foi tão importante.”
“Que venham outros 500 mil e muitos visitantes mais! A história do frevo merece ser contada, preservada e renovada, com toda a força e alegria que o Paço do Frevo dedica à cultura de Pernambuco e do Brasil inteiro”, disse o presidente da Fundação de Cultura Cidade do Recife, Diego Rocha, que recebeu e cumprimentou Carla, junto com o gerente do Paço, Eduardo Sarmento.
Centro de referência de ações, projetos e atividades de documentação, transmissão e valorização do frevo, Patrimônio Imaterial da Humanidade reconhecido pela Unesco, o Paço do Frevo é uma iniciativa da Prefeitura do Recife, com realização da Fundação Roberto Marinho e gestão do Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG).
Desde o dia 9 de fevereiro de 2014, quando foi inaugurado, o museu já realizou mais de 84 mil visitas guiadas, recebeu 451 atrações culturais, 104 eventos dentro da programação da Quinta no Paço e do Sábado no Paço, 42 Arrastões do Frevo, 14 rodas de frevo, 7 conexões do frevo e mais 148 outras atividades.
Entre tantas ações sistemáticas, destaca-se a Hora do Frevo, atividade gratuita realizada às sextas-feiras, sempre na hora do almoço, que incentiva novas leituras instrumentais, clássicas, contemporâneas e autorais do frevo, que já teve 141 edições realizadas e foi contemplada com o prêmio Funarte de programação continuada para a Música Popular. Em 2017, o Paço do Frevo foi reconhecido também como Centro de Referência em Representação, Ações, Projetos, Manifestação e Salvaguarda pelo Iphan. E tudo isso é só o começo.

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Abertas convocatórias de artistas para o Ciclo Natalino 2018 e para o Carnaval 2019

Grupos e agremiações interessados em compor a grade dos dois ciclos têm até o próximo dia 10 de outubro para habilitação documental e artística de propostas.
Para que o Natal de 2018 e o Carnaval de 2019 sejam celebrados como manda o figurino nordestino, com direito a pastoril e reisado, maracatu, afoxé, frevo, samba e tudo mais que cabe dentro do rico glossário de tradições e vocações culturais nordestinas, a Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura, da Fundação de Cultura Cidade do Recife e da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, abriu duas convocatórias artísticas, uma para cada ciclo.
Os artistas interessados em compor a programação do próximo Natal ou Carnaval devem se inscrever até o próximo dia 10 de outubro, com etapas online e presencial (ou pelos Correios). Primeiro é preciso acessar o site www.culturarecife.com.br para consultar a relação e os modelos dos documentos exigidos para a inscrição. Na mesma página, deverão ser agendados data e horário para a entrega presencial de material, na Prefeitura do Recife. A documentação também poderá ser postada pelos Correios (via Sedex ou correspondência registrada, com Aviso de Recebimento), até o último dia da inscrição (10 de outubro).
Para o atendimento presencial, foi montado um posto no térreo da Prefeitura do Recife, na Avenida Cais do Apolo, 925, Bairro do Recife, que funcionará nos dias úteis, até o dia 10 de outubro, das 9h às 12h e das 13h às 17h. O Núcleo de Cultura Cidadã, localizado no Pátio de São Pedro, na casa de número 39, também estará disponível para orientar/realizar a inscrição e emissão de documentos dos grupos e agremiações.
A relação dos projetos habilitados dos pontos de vista documental e artístico será divulgada no Diário Oficial do dia 30 de outubro e também no site www.culturarecife.com.br.
Além da habilitação, a inclusão dos artistas nas duas grades de programação dependerá do cronograma preparado pela Prefeitura do Recife para o ciclo. A programação será criada por um grupo de trabalho composto por representantes da Secretaria de Cultura do Recife, da Fundação de Cultura Cidade do Recife, da Secretaria de Governo e Participação Social e da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, com a participação do Conselho Municipal de Política Cultural.
Para dúvidas e informações sobre a convocatória: centralfccr@gmail.com ou (81) 3355-9013.

Certificado de Habilitação de Firmas - Para otimizar, acelerar e desburocratizar a habilitação em cada um dos ciclos culturais da cidade,  artistas e seus representantes podem optar por fazer o registro cadastral no Sistema de Credenciamento de Fornecedores da Prefeitura do Recife – SICREF. O registro assegura aos artistas o Certificado de Habilitação de Firmas, que isenta, no ato da habilitação para editais convocatórios específicos, a apresentação de vários documentos, como Prova de Inscrição do CNPJ, Cópia autenticada do Registro Comercial, Ato Constitutivo, Contrato Social ou Estatuto Social e Cópia autenticada do comprovante de conta corrente. Mais informações estão disponíveis no link: http://www.recife.pe.gov.br/portaldgco/app/ConsInformacaoFornecedores.php.

Secretaria de Cultura promove reuniões com carnavalescos

Entre os próximos dias 17 de setembro e 3 de outubro, representantes dos brinquedos estão convocados para reuniões sobre o concurso de agremiações e seus critérios.

Ainda faltam seis meses para a festa mais aguardada, colorida e animada do calendário recifense, mas momo já anuncia seus sinais. Entre os próximos dias 17 de setembro e 3 de outubro, a Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura, convoca os carnavalescos para uma série de reuniões, com o objetivo de discutir o Concursos de Agremiações de 2019 e seus critérios.
 
Os encontros serão no 15º andar do prédio-sede da Prefeitura do Recife, na Avenida Cais do Apolo, nº 925, Bairro do Recife, das 14h às 17h. Carnavalescos e brincantes serão recebidos, tradição a tradição, de acordo com o seguinte calendário:
 
17/09 - Troças Carnavalescas Mistas
18/09 - Clubes Carnavalescos Mistos
19/09 - Clubes de Boneco
20/09 - Blocos de Pau e Cordas
21/09 - Maracatus de Baque Virado
24/09 - Bois de Carnaval
25/09 - Ursos (La Ursa)
26/09 - Caboclinhos
27/09 - Tribos de Índios
01/10 - Maracatus de Baque Solto
02/10 - Escolas de Samba
03/10 - Agremiações que não participaram do concurso em 2018
 
Tradição iniciada nos idos de 1930, que já percorreu vários bairros da cidade, o Concurso de Agremiações reuniu, no Carnaval deste ano, 223 grupos de onze modalidades: escola de samba, blocos de pau e corda, tribos de índios, troças carnavalescas, maracatus de baque solto, maracatus de baque virado, clubes de frevo, clubes de boneco, caboclinhos, bois e ursos.
 
Ao todo, foram distribuídos R$ 685 mil em prêmios para as 85 agremiações vencedoras.
 
A competição tem como objetivo valorizar e incentivar as expressões artísticas e tradições momescas mais antigas da cidade.

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Galo da Madrugada faz homenagem à mulher no desfile 2019

Sete meses antes do período carnavalesco, o Clube de Mascaras “O Galo da Madrugada” já escolheu o tema-enredo do seu desfile em 2019.
A agremiação desfilará em homenagem à mulher, que sempre contribuiu para o sucesso dos seus 40 anos de existência.  “Frevo Mulher” é uma conhecida musica de autoria de Zé Ramalho, que certamente será bastante executada durante o magnífico desfile do Galo no próximo ano. As mais conhecidas mulheres cantoras pernambucanas vão ser convocadas também para abrilhantar o maior bloco de rua do mundo.

Mulheres que fizeram história ao longo dos 40 anos do Galo da Madrugada:
Família – Ana Nery Freire de Meneses
Albertina Alves Freire
Badia
Carla Asfora de Menezes
Danielle Menezes
Elizabeth Guerra de Menezes
Maria do Carmo Travassos Freire (Dona Carminha)

Produção – Cristina Ana Lopes   
Gilberta Queiroz
Jeanny
Juju
Kalinka Serafim
Léa Lucas
Leda Alves
Lelê
Luciana Azevedo
Luciana Felix
Maria de Lourdes da Silva
Mônica
Regina Alves
Tatyana Verissimo
Tereza Accioly
Yane Claudino
Artistas
 Adriana B
Carla Rio
Cristina Amaral
Cinthia Barros (Banda Luará)
Deyse Trajano (Asas da América)
Edilza Ayres
Elba Ramalho 
Fabiana Pimentinha do Nordeste
Fafá de Belém
Gaby Amarantos
Gerlane Lops
Genilda Alexandre da Silva (Maracatu Leão Formoso)
Irah Caldeira
Joelma
Karina Spinelli
Késia (Maestrina Bloco das Ilusões)
Lia de Itamaracá
Lia Sofia 
Lucy Alves
Luiza Possi
Maria Gadu
Márcia Barros
Michelle Melo
Nádia Maia
Nena Queiroga
Orquestra 100% Mulher
Priscila Senna
Roberta Sá
Conceição (Orquestra Som Brasil)
Tânia de Lima Costa (Presidente da Tribo Indígena Tapirapé)
Vanessa da Mata
Vanessa Oliveira (Spok)
Walquiria Mendes
Galo da Madrugada - O primeiro desfile do Clube de Máscaras O Galo da Madrugada, em 1978, contou com a participação de 75 foliões fantasiados de “almas”. A brincadeira era feita com muito confete e serpentina ao som de uma orquestra composta por 22 músicos. O detalhe é que as pessoas usavam fantasias com máscaras (capuz), vestidas de “almas”. Daí o nome de “Clube das Máscaras”. Essas fantasias desfilam até hoje. Não demorou muito para o Galo despertar a atenção de foliões. No ano seguinte, a quantidade de participantes já era cinco vezes maior. Também em 1979, o bloco ganhou o estandarte e o hino oficial, criados, respectivamente, pelo fundador Mauro Freire e pelo compositor José Mário Chaves. A cada ano que passava mais pessoas se juntavam a essa ideia de vivenciar um carnaval livre e democrático. As ruas estreitas e os becos do bairro de São José ficavam cada vez menores à medida que o resgate da tradição popular se consolidava. Passados 40 anos, o bloco continua emocionando e lembrando aos dois milhões de foliões e ao mundo inteiro que o carnaval começa no Galo da Madrugada. Nesse período, o Galo realizou, durante 15 anos (1980 / 1994), no Clube Português do Recife o BAILE DOS ESTANDARTES, que atraia milhares de pessoas. Também, realizou durante 10 anos (1981/1990) o desfile de Fantasias de Papel na Avenida Boa Viagem.